Mostrando postagens com marcador Cultura. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Cultura. Mostrar todas as postagens

domingo, 1 de outubro de 2017

Cordelista de Santana do Mundaú lança livro em Bienal Internacional do Livro

"Um Cordel Atrás do Outro" foi lançado no Centro de Convenções, em Maceió

Evento foi promovido durante Bienal Internacional do Livro de Alagoas

O livro Um Cordel Atrás do Outro, do cordelista mundauense Cícero Manoel, foi uma das três obras lançadas, na noite deste domingo (1º), pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos, durante a 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas.  O evento foi realizado no Centro de Convenções, em Maceió, e contou com a presença do secretário de Estado da Comunicação, Enio Lins.

Durante a apresentação do livro, Cícero Manoel destacou a sua trajetória até a oportunidade de publicar uma segunda obra. “Estou aqui representando minha cidade Santana do Mundaú, lugar onde até meus 16 anos trabalhei na roça com meus pais, sonhando em um dia ingressar na universidade. Hoje, estou aqui realizando mais um sonho: a publicação deste livro que conta o que sou”, disse o cordelista e estudante de Letras pela Universidade  Estadual de Alagoas (Uneal).
Cícero Manoel esteve ao lado de mais dois autores
Ao Mundaú Notícias, ele também falou que o momento é de reconhecimento não só de seu trabalho, mas da própria literatura de cordel: “Estou muito feliz e é um momento que nunca vou esquecer. Nunca imaginei que poderia chegar onde estou chegando e vejo este livro como um reconhecimento da literatura alagoana”.

Antes de autografar alguns exemplares, o cordelista e mais dois autores, que tiveram também suas obras publicadas, foram parabenizados pelo secretário de Estado da Comunicação, Enio Lins, e pelo diretor-presidente da Imprensa Oficial Graciliano Ramos, Dagoberto Omena.

Diretor da Imprensa Oficial Graciliano Ramos e secretário de Estado da
Comunicação participaram do lançamento
Para o diretor de Cultura de Santana do Mundaú, Jeferson Lima,  que participou do lançamento, o município se torna referência em literatura de cordel. “A população tem um orgulho muito grande de uma pessoa como o Cícero, que saiu da roça e que está representando não só Santana do Mundaú, mas também toda cultura alagoana e nordestina, já que é através dele que o cordel está sendo expandindo nas universidades”, afirmou. “Ele representa bem a terra da laranja lima e, agora, terra do cordel”.

Um Cordel Atrás do Outro traz histórias divertidas do interior, romances, causos, que são inspirados pelo autor através da sua convivência com a realidade nordestina. As narrativas são apresentadas ao leitor em um tom humorístico, carregando uma linguagem regional.

Por: Thiago Aquino / Mundaú Notícias Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 29 de junho de 2017

O São João de antigamente e o São João de hoje em dia

Autor: Cícero Manoel

Ilustração
O São João de hoje em dia
Está muito diferente.
Tá muito modificado
Esse São João do presente,
A diferença é grande
Pra o São João de antigamente.

O São João de antigamente
Era bem mais animado,
O São João de hoje em dia
Tá muito desanimado
Ninguém faz mais uma festa
Como tinha no passado.

No São João do passado
Dava prazer escutar
História de moça velha
Que queria se casar
E fazia simpatia
Pra um noivo encontrar.

Não queira me duvidar
Pois isso acontecia,
Isso hoje é matutisse
Pras moças de hoje em dia
P’ruma hoje namorar
Não precisa simpatia.

No São João antes havia
Uma coisa corriqueira,
Os rapazes e as moças
Arrodeando a fogueira
Se tomavam por compadres
Era aquela brincadeira!

Hoje é uma besteira
Pros jovens de hoje em dia
Fazer essa brincadeira
Que antigamente fazia,
Sempre mantendo o respeito
Na paz e na alegria.

OSão João de hoje em dia
Não tem mais animação,
Não existe mais forró
Só existe imitação,
Assassinando o forró
DeLuiz rei do baião.

Hoje o nosso São João
É aquilo empacado,
Não se vê um sanfoneiro
Não tem xote, nem xaxado,
Daquele que se dançava
Pro corpo ficar suado.

Tá muito modificado
Esse nosso São João,
Quase ninguém faz fogueira,
Ninguém solta mais balão,
Se o cabra for soltar um
Passa o São João na prisão.

Hoje o nosso São João
Está que chega dá dó,
Não se vê um palhoção
Do pé levantar o pó,
E onde tem uma, toca
Funk em vez de forró.

O São João sem forró
Vai perdendo a sua essência,
Acabou-se o matuto,
E a sua aparência
Gerou moda, gerou lucro,
Gerou até concorrência.

Tem muita incoerência
Hoje em nosso São João,
A culpa de muita coisa
É da modernização
Mas não podemos deixar
Morrer nossa tradição.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Após emocionar mundauenses em estreia, “Flor de Laranjeira” segue com agenda

Grupo homenageia povo sertanejo; apresentações seguem até dia 22 de julho


A estreia aconteceu na noite de São João em Santana do Mundaú (Foto: Divulgação)

Meu nome é Severino, um sertanejo nordestino. É com este tema que a Quadrilha Junina Flor de Laranjeira, de Santana do Mundaú, tem emocionado o público. A estreia aconteceu no próprio município na noite de São João, 23. Já no sábado (24), foi a vez da cidade de Chã Preta conferir a apresentação. A agenda do grupo segue até 22 de julho.


Com 30 dançarinos e uma equipe de apoio, a narração e a coreografia levam ao público a história do personagem Severino, representando todo povo nordestino.  Para o coreógrafo Thales Ribeiro,  a estreia correspondeu com a expectativa do grupo. “Apesar das dificuldades, tentamos fazer o melhor para agradar o público. Vale a pena quando chegamos ao final e ver que tudo saiu como planejado”, disse.

Após a estreia em Santana do Mundaú, a quadrilha se apresentou em Chã Preta na noite do sábado (24). Na agenda, também já está confirmada a presença em Capela, Viçosa, São José da Laje e São Bento de Una.

O leitor Zezão Alves registrou alguns momentos da apresentação e você pode conferir  no vídeo abaixo:



Para o diretor de Cultura do município, Jeferson Lima, a quadrilha junina tem recebido o apoio da Prefeitura com o objetivo de resgatar e valorizar a cultura local. “Acreditamos que a cidade nunca teve uma quadrilha junina de forma que representasse o Município. É uma maneira de resgatar esta cultura e vivenciá-la nos dias de hoje, valorizando principalmente a cultura local”, afirmou o diretor. “Além disso, os jovens e adolescentes estão focados em mostrar o talento e, assim, estão longe das drogas”.

Flor de Laranjeira é o novo nome de um grupo de adolescentes e jovens que há 10 anos iniciaram com a Quadrilha Junina Milho Verde. Após a enchente,  o grupo foi fortalecido com Amantes da Cultura, no Programa de Erradicação do Trabalho Infantil, Peti, da Secretaria Municipal de Assistência Social. Pensando em expandir os talentos mundauenses,  o grupo deixou de pertencer ao Programa e começou a representar toda a cidade.

MAIS FOTOS







Por: Thiago Aquino Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Artistas locais expõem trabalhos em praça durante aniversário da cidade

Cordelista diz que evento desperta a necessidade para um espaço permanente
| Por: Thiago Aquino

Artistas divulgam trabalhos durante festividade de emancipação política  (Fotos: Edmilson Soares)


Os artistas locais de Santana do Mundaú participaram de uma exposição, na Praça Santa Ana, nessa terça (13) e quarta-feira (14). Os moradores e visitantes puderam conhecer de perto o trabalho de artesãos, pintores, poetas e músicos.

O evento fez parte das comemorações dos 57 anos de emancipação política de Santana do Mundaú, festejados no dia 14 de junho. Produtos artesanais, cordéis, livros, música e até caricaturas estavam presentes nos estandes.

Para Cícero Manoel, cordelista e estudante de Letras, o momento foi oportuno. “Foi um momento rico para mostrar o nosso trabalho durante dois dias para o povo do município e visitantes. Muita gente que não tem acesso à internet e não acompanha meus trabalhos nas redes sociais puderam me conhecer pessoalmente recitando meus cordéis”, disse Manoel.

Sentindo a necessidade de aproximar os trabalhos culturais da própria população, o cordelista lembrou que falta um espaço fixo para a divulgação dos trabalhos no município: “Durante essas exposições, despertou em nós o desejo de ter um local na cidade para que os nossos trabalhos estejam expostos todos o dias”.


O pintor Edinaldo Barros concorda que a divulgação dos trabalhos locais devem ser feita de forma permanente e que ainda falta a valorização.  “Sentimos que faltou um pouco mais de visibilidade e de divulgação. Poderiam liberar os alunos para a visita, por exemplo, mas a iniciativa foi válida e já foi um bom começo. Esperamos que melhore cada vez mais”, lembrou o artista. 

MAIS FOTOS:



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Fiéis vão às ruas em demonstração de fé pela padroeira Senhora Sant'Ana

Confira os melhores momentos da procissão 2017!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Cordelista de Santana do Mundaú realiza sonho e lança livro

Cícero Manoel apresentou seu livro na Escola Manoel de Matos

"Versos de Um Cordelista" contém 10 cordéis de romance,  humor, lenda e crítica

O universitário e cordelista Cícero Manoel lançou na tarde desta sexta-feira (17) o livro “Versos de Um Cordelista” durante a apresentação de um projeto pedagógico na Escola Estadual Manoel de Matos, no Residencial Santana do Mundaú.

Após uma parceria com a Universidade Estadual de Alagoas, Uneal, o estudante de Letras conseguiu não apenas publicar seu primeiro livro, mas também o primeiro a ser publicado por um mundauense residente na cidade.

Cícero Manoel também cria ilustrações
com xilogravura para seus cordéis  
De acordo com Cícero Manoel, o livro em mãos é mais um passo em sua carreira como cordelista. “Editar e publicar um livro de cordéis é um sonho realizado, mas como sempre estamos sonhando mais alto isso se torna um passo a mais para continuar incentivando a literatura de cordel”, disse o autor.

Segundo o cordelista, o processo de edição do livro se deu a partir de sua chegada na Uneal. “Quando comecei a cursar Letras na Uneal conheci o professor Jairo Campos [reitor da universidade], que, ao ter conhecimento que eu produzia cordéis, me propôs um projeto para a edição do livro”, contou o universitário.  “Com o projeto pronto, a universidade conseguiu uma parceria com uma editora e hoje estou aqui muito feliz com o livro lançado”.

 “Não quero lucro, nem fama...”

Filho de agricultores e residente no Sítio Ilha Grande – cerca de 20 km do centro da cidade - , Cícero Manoel enfrentou várias dificuldades até chegar à universidade e publicar seu primeiro livro. Ele afirma que espera apenas o reconhecimento do seu talento. “Não quero lucro, nem fama. Eu realizo este trabalho porque gosto e amo a literatura de cordel”, disse.


Cordelista dá palestra para alunos
em União dos Palmares
[Foto: Franco Maciel]
“Não faço os cordéis esperando reconhecimento, mas é gratificante receber convites para dá palestra e ouvir comentários de quem faz a leitura dos meus cordéis”.

Cícero Manoel lembra que é o único na zona da mata alagoana que incentiva a literatura de cordel e da xilogravura, ilustração que ele mesmo produz para seus cordéis. Apesar de ser bastante conhecido na região, o cordelista confessa que sente a falta de apoio para a produção de seus cordéis.

“É impossível alguém viver [financeiramente] apenas de cordéis, pois quem trabalha com isso é porque realmente gosta e enfrenta os desafios. Sempre tenho a dificuldade de impressão e edição dos folhetos de cordéis porque não tenho patrocinador”, disse Manoel.

“Cordéis digitais”

Blog já teve mais de 18 mil visitas
O advento das redes sociais tem facilitado a vida de muita gente. O caso de Cícero Manoel não é diferente. O poeta compartilha seus cordéis em suas redes sociais o que, para ele, é uma boa oportunidade de divulgar seu trabalho. 

“Graças a esta tecnologia, hoje meus cordéis são lidos na Inglaterra, nos Estados Unidos, em Portugal”, diz entusiasmado o escritor, que mantém o blog “Meus Cordéis” com mais de 18 mil acessos. “Se não existisse esse meio de comunicação, quando que um cordelista daqui ia fazer com que seu cordel fosse lido em outro país?”, questiona.
Internautas interagem com cordelista

Cícero Manoel atribui à própria internet a extinção dos folhetos de cordéis nas feiras livres. “A vinda da internet levou embora a literatura de cordel impressa, mas é nela que encontramos uma grande ferramenta para os cordelistas. Através dela temos hoje um público bem maior. Eu, por exemplo, tenho muitos fãs e seguidores nas minhas redes sociais”, afirma.

O início

Desde seus 10 anos de idade Cícero Manoel já escrevia poemas e aos 16 anos surgiram outros escritos, que ao chegar na Escola Estadual Manoel de Matos descobriu que se tratava de cordéis.

Segundo ele, o maior incentivo para a criação de cordéis foi em sala de aula. “Foi na escola a partir de 2008 que descobri o que era cordel e comecei a escrever com o incentivo das professoras Mary, Nadja e Quitéria Calado”, lembra o poeta.

O livro
Livro apresenta cordéis e xilogravuras

“Versos de Um Cordelista” apresenta 10 cordéis de humor, romance, lenda e crítica. O prefácio foi escrito pelo professor Jairo José Campos, reitor da Universidade Estadual de Alagoas, e a apresentação pela professora Quitéria Alves Calado, diretora da Escola Estadual Manoel de Matos.

O livro custa apenas R$ 20,00 e pode ser adquirido na Colinas Revistaria, Papelaria Palmarina, no Campos V da Uneal em União dos Palmares ou com o próprio autor através do email: ciceromanoel-cordel@hotmail.com .


Por: Thiago Aquino / Mundaú Notícias Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 25 de junho de 2015

A alegria do São João e o brilho das quadrilhas juninas: uma mistura que dá certo

Quadrilhas Amantes da Cultura e Sertaneja se apresentam em Santana do Mundaú e em cidades vizinhas


Amantes da Cultura apresenta uma história de amor [Fotos: Divulgação]

O mês de junho é marcado pelas tradicionais festas juninas realizadas em todo Brasil, mas de um jeito diferente e único na região Nordeste. Histórias como as de Lampião e Maria bonita, o cangaço e a cultura nordestina ganham formas, cores e coreografias. Juntos se transformam nas famosas quadrilhas juninas. Cada uma com seu estilo próprio. Todas buscando dar o seu melhor.

Apresentação no dia 14 de junho
atraiu olhares do público
Em Santana do Mundaú, as festas juninas ganham um brilho a mais e se enchem de cores quando as quadrilhas Amantes da Cultura, do Serviço de Convivência (antigo Projovem), e a quadrilha Sertaneja, do grupo da Melhor Idade, do Centro de Referência de Assistência Social - CRAS, entram em cena. Um encontro de gerações em apresentações de tirar o fôlego.

A Amantes da Cultura é formada por 30 componentes, 04 apoios e é organizada pelo estudante Thales Ribeiro, 18. Cabe a ele a responsabilidade de criar os passos e ensiná-los. E é também dele a responsabilidade de escolher os temas da quadrilha para cada ano. 

Quadrilha Sertaneja: alegria e companheirismo
Este ano a quadrilha traz em suas apresentações a história de um casal que, separado por um acaso, sofre as consequências de um amor impossível, mas que luta até o fim para ficar junto, até que "tudo termina em uma união, movida por uma paixão, numa noite de São João nas quebradas do sertão". 

Já para quem pensa que a terceira idade é uma fase na vida na qual não se produz mais nada e é hora de descansar, precisa conhecer melhor a quadrilha Sertaneja do CRAS. Ao todo, 24 mulheres fazem parte da quadrilha e as idades são variadas. Uma mistura de alegria e muito companheirismo. 

Aparecida e Ana foram homenageadas
nas comemorações dos 55 aos de
Santana do Mundaú pela apresentação
da quadrilha da Melhor Idade
Elas não se preocupam muito em escolher um tema para apresentar ao público. Para elas, o melhor mesmo é poder esbanjar alegria em cada apresentação realizada. E quando entram em cena, parecem esquecer todos os problemas e se rendem a alegria do São João.

A quadrilha Sertaneja é orientada por Maria Aparecida e Ana Maria. Elas são orientadoras sociais e se sentem extremamente felizes ao ver o sorriso estampado no rosto de cada componente. 

Além de Santana do Mundaú, as quadrilhas se apresentam em cidades vizinhas, levando a alegria e muita descontração por onde passam.


Por: Thiago Alvino / Mundaú Notícias
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Confira o vídeo da procissão de Santa Ana 2015!

Multidão foi às ruas em ato de fé e devoção 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Prefeitura realiza atividades recreativas e sociais no Residencial Santana do Mundaú

Danças, brincadeiras e atendimento médico marcaram o domingo no Residencial

Apresentações culturais chamaram atenção dos moradores e visistantes


A "Prefeitura Itinerante" esteve na tarde deste domingo (31) no Residencial Santana do Mundaú realizando diversas atividades recreativas e sociais. Por meio das secretarias municipais foram realizados atendimentos médico e odontológico.

De acordo com o prefeito do município Marcelo Souza essa é uma forma de trazer aos moradores momentos de alegria e confraternização. "Estamos aqui para oferecer assistência necessária aos moradores aqui do Residencial”, afirmou o gestor.

O Grupo de Pastoril da Melhor Idade do município de Branquinha também marcou presença no evento. Cheia de alegria e simpatia, Josefa Maria de 73 anos disse que depois que começou a participar do pastoril se sente muito melhor e mais disposta. "Depois que entrei para o pastoril minha vida ficou melhor. É um prazer e me traz muita alegria", disse a aposentada.

As escolas do município levaram para o Residencial o “Fantástico mundo da leitura” e as crianças fizeram questão de olhar cada detalhe da casinha da leitura. Maria Eduarda que estuda 3º ano na escola Denilma Bulhões disse que ler é uma das coisas que ela mais gosta de fazer.


As atividades se estenderam ate o final da tarde.

MAIS FOTOS












Thiago Alvino / Mundaú Notícias
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

domingo, 15 de junho de 2014

Festa de emancipação política é marcada por apresentações culturais e exposições

Santana do Mundaú comemorou seus 54 anos neste sábado 



Apresentações culturais e exposições marcaram a festa de aniversário do município de Santana do Mundaú neste sábado (14). As solenidades, que comemoraram os 54 anos da cidade, aconteceram durante todo o dia e se estenderam até a noite.

A abertura aconteceu por volta das 8h em frente à prefeitura municipal com o hasteamento da bandeira, que contou com a presença de autoridades municipais, professores e estudantes. Na ocasião, o prefeito de Santana do Mundaú, Marcelo Souza, falou da burocracia na entrega das casas do programa da Reconstrução. “São muitas as reclamações destas casas, mas tudo será verificado e resolvido”, garantiu.

O gestor aproveitou a oportunidade para assinar um termo de ordem, registrando algumas obras realizadas no município e se dirigiu, junto com vereadores e secretários municipais, a nova Unidade de Saúde Básica na Rua Padre Cícero para a sua inauguração.

Na igreja matriz de Senhora Sant’Ana, os mundauenses participaram da Missa solene. Em sua homilia, padre Givaldo Rocha, administrador paroquial, lembrou que a Igreja esteve sempre presente na história de Santana do Mundaú. “O nome da cidade surgiu por causa da padroeira deste lugar e a nossa igreja matriz atualmente é o único patrimônio histórico preservado no município desde sua construção”.

A feira cultural teve início às 14h e reuniu vários estandes com temas diferentes. A força da agricultura no município foi apresentada ao público com vários produtos, como a laranja lima, que até seus derivados os professores se preocuparam em apresentar. Os artistas da terra também marcaram presença. O repentista Everaldo Caetano, o cordelista Cícero Manoel e o pintor Edinaldo Barros foram homenageados por uma exposição da Escola Monsenhor Clóvis, representando os talentos locais.

Junto com a exposição aconteciam simultaneamente apresentações de danças, poemas e músicas. As escolas municipais, tanto da zona urbana como rural, mostraram a história de Santana do Mundaú por meio de danças culturais, como o coco de roda, frevo, forró e capoeira. Alunos da Escola Manoel de Matos fizeram paródias, lembrando a trajetória do município.

Para finalizar as apresentações e aproveitando o clima junino, as quadrilhas Amantes da Cultura, do Projovem; e a da Melhor Idade, do Cras; atraíram olhares do público com suas apresentações.

A festa de emancipação foi encerrada com os shows das bandas Lambada Elite, Dharley & Dheividy e Ana Lôbo.

DEPOIMENTOS










FOTOS 

Hasteamento da bandeira reuniu autoridades, professores e estudantes
Mundauenses participam de missa em igreja matriz de Santa Ana
Padre Givaldo Rocha presidiu missa solene
Estande em feira cultura apresenta o produto mais cultivado do município: laranja lima 
Outros produtos também foram expostos
Artistas da terra são homenageados na feira cultural
Os artesãos da comunidade quilombola Jussarinha apresentaram seus produtos
Alunos mostram a história da cidade através de danças
Quadrilha Amantes da Cultura do Projovem lembrando a tradição junina
O Grupo da Melhor Idade também apresentou sua quadrilha 

Por: Thiago Aquino / Mundaú Notícias
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Confira o vídeo da procissão de Santa Ana 2014

Procissão aconteceu no domingo (19)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Procissão de Santa Ana reúne fiéis e visitantes em Santana do Mundaú

Santana do Mundaú celebra a festa de sua padroeira

Fiéis lotam as ruas de Santana do Mundaú 

Fiéis e visitantes participaram neste domingo (19) da procissão de Senhora Sant’Ana, padroeira de Santana do Mundaú.  A tradicional festa de Santa Ana, que teve início no dia 10 com o novenário, contou com centenas de pessoas no seu principal dia festivo.

A procissão foi conduzida por 12 andores, patrocinados por diferentes famílias, e contou com a presença da Banda de Música do Corpo de Bombeiros de Alagoas e da banda de pífanos de Santana do Mundaú.

Os fogos, a chuva de prata e os aplausos anunciaram a saída da charola mais esperada pelos fiéis. A imagem de Santa Ana foi recebida por centenas de pessoas que aguardavam em frente à igreja matriz, e, logo após, lotaram as ruas da cidade durante o percurso da procissão.

Ao retornar para Praça Santa Ana, o padre Givaldo Rocha deu a benção do Santíssimo Sacramento e fez os agradecimentos a todos colaboradores da festa de Santa Ana. “Eu dizia durante o novenário que assim como na enchente as ruas estiveram cobertas por água, na procissão eu queria ver um mar, mas desta vez de gente, e foi assim que aconteceu”, expressou com alegria o pároco.

Missa solene

Na manhã do domingo, os católicos mundauenses estiveram na igreja matriz às 9h para a Missa solene em homenagem à Santa Ana. Em sua homilia, o padre Givaldo Rocha falou sobre sua chegada na paróquia e da alegria de poder celebrar pela primeira vez um novenário na comunidade.

O novenário

Pela primeira vez, após 5 anos de paróquia, Santana do Mundaú celebrou o novenário de sua padroeira.   Com o tema “Com Senhora Sant’Ana, professamos nossa fé no Deus Uno e Trino”, a programação da festa contou com terços, missas, batizados, leilão, quermesses, carreata e animação musical.

A festa da padroeira deste ano será finalizada nesta segunda (20) com Missa de encerramento às 19h30 na igreja matriz e, logo após, acontecerá a descida da bandeira.

MAIS FOTOS










Por: Thiago Aquino / Mundaú Notícias
Fotos: Josenildo Feitosa
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...